A Ginkgo biloba é vulgarmente designada de árvore-dos-quarenta-dinheiros, nogueira-do-Japão ou pé-de-pato, existindo praticamente em todo o mundo.

Classificação científica

Reino: Plantae 
Divisão: Ginkgophyta 
Classe: Ginkgoopsida
Ordem: Ginkgoales 
Família: Ginkgoaceae 
Género: Ginkgo
Espécie: Ginkgo biloba

Esta espécie é, atualmente, a única da sua família, a Ginkgoaceae, sendo considerada um fóssil vivo. Fóssil vivo? Sim, fóssil vivo! Conhecem-se outras espécies fossilizadas de ancestrais do género Ginkgo de há mais de 170 milhões de anos, a espécie Ginkgo biloba foi a única que sobreviveu. Os dinossauros conheceram-na e assistiram à sua evolução! Esta planta resistiu às explosões atómicas no Japão, em Hiroshima. É uma guerreira, uma planta resistente e uma verdadeira sortuda!

A palavra “ginkgo” tem origem chinesa, significando “damasco prateado”; o termo que se segue, “biloba”, advém do formato bilobado das suas folhas, sendo o limbo repartido em dois lobos simétricos.

A árvore caduca perde todas as suas folhas amarelas no inverno. De porte elegante, pode atingir 20 a 30 metros de altura, embora algumas espécies, na China, possam chegar aos 50 metros. O início da floração acontece em Março, perdurando cerca de dois meses as suas inflorescências em forma de cacho e cor amarela.

Inflorescências da Ginkgo biloba

Enquanto árvore dióica, diferenciam-se árvores com o sexo feminino e árvores com o sexo masculino. O sexo é facilmente distinguido através da disposição dos ramos ao longo da árvore. Os ramos das fêmeas têm a tendência para crescerem mais horizontalmente; pelo contrário, os ramos dos machos tendem a inclinar para cima. Esta distinção é um dado muito importante na altura da escolha das suas plantas!

A fêmea produz uns frutos arredondados, amarelo-acastanhados durante a maturação (que acontece em meados de Setembro), de um cheiro insuportável. Certamente que não vamos querer os nossos parques e jardins com perfume a vómito, por isso fica a dica!

Frutos da Ginkgo biloba

A Ginkgo é bastante utilizada na medicina natural desde há 1000 anos! É usada para melhorar o desempenho cognitivo (como intensificador da memória, por exemplo), depressão, vertigens, dores de cabeça e síndromes de demência, ajuda a combater a má circulação do sangue e é recomendada em casos de asma, impotência sexual, alergias e síndrome pré-menstrual. Mas lembre-se, não sou médica, sou arquiteta paisagista, por isso procure informar-se um pouco mais, especialmente sobre as contra-indicações! As partes mais utilizadas são as suas folhas secas em infusões. Tenha especial cuidado com os frutos, podem tornar-se tóxicos!

Folhas da Ginkgo biloba

Se gostarias de ficar a saber mais sobre esta planta, acrescentar alguma informação ou até, sugerir algo, deixa um comentário! Todos os comentários serão bem-vindos! 🙂 Até breve!

 Rita Basto, Green

Bibliografia:

Advertisements

One thought on “Ginkgo biloba, um fóssil vivo!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s